Explicando coisas complexas de forma simples

Imposto na nota fiscal já é uma realidade

05/7/13 2:50 PM

por Renato Carbonari Ibelli | DIÁRIO DO COMÉRCIO/SP

impostonanota carga tributaria  Imposto na nota fiscal já é uma realidade | Big Brother Fiscal

Cupom da Riachuelo traz o montante total e o percentual de . – Divulgação

Empresas de grande porte já emitem o discriminando o valor do pago pelo quando este compra algum produto. Esta informação terá de constar dos emitidos por todas as empresas a partir do dia 8 de junho, como previsto pela , sancionada pela Dilma Rousseff no final do ano passado. As companhias que já informam ao o valor do imposto – em fase experimental – são as Lojas Renner, a Riachuelo e a Telhanorte.

De acordo com Alfeu Camargo de Oliveira, gerente regional da Lojas Renner, a implantação do serviço foi . “O sistema começou a operar 15 dias após recebermos os dados do Instituto Brasileiro de (), que elaborou toda a base de cálculo que alimenta o sistema que lança as informações novas nas notas”, disse Oliveira.

A metodologia de cálculo desenvolvida pelo IBPT está sendo oferecida gratuitamente pelo instituto até o dia 15 de maio. Para obter o sistema, o empresário deve entrar em contato com o instituto ou ACSP. A lei estabelece que qualquer instituição que trabalhe com a apuração de dados econômicos pode oferecer sua metodologia às empresas.

Juliano Montroni, coordenador de sistemas da Riachuelo, também destaca a simplicidade para a implantação do sistema. Na opinião dele, “empresas menores, com menos volume de emissões de nota, terão ainda mais facilidade”. Montroni falou também sobre a importância da nova informação que passou a constar nos seus cupons fiscais. “É uma forma de reeducar o brasileiro. Tendo o imposto impresso na nota, o consumidor terá algo tangível nas mãos para cobrar retornos do por aquilo que contribuí”, afirmou o representante da Riachuelo.

O texto da Lei nasceu dentro da Associação Comercial de (ACSP), sendo que seus preceitos foram antecipados pelo movimento , que percorreu diversos municípios para divulgar o peso dos sobre o preço dos produtos e serviços consumidos no dia a dia. O movimento, liderado pela Associação Comercial, teve a participação do IBPT, Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis no Estado de (-SP) e outras 102 entidades que lutaram pela regulamentação da discriminação dos tributos nas notas ou cupons fiscais. O movimento coletou 1,5 milhão de assinaturas pedindo a aprovação da lei, o que foi conseguido ao final de 2012.

Sobre o fiscal, Gilberto Luiz do Amaral, presidente do Conselho Superior do IBPT destacou o caráter educacional da medida. “Com o tempo, as pessoas deixarão de dilapidar o patrimônio público, passarão a valorizar o bem comum e a defendê-lo. Entenderão que os impostos são necessários e conseguirão associar os valores que pagam com uma boa ou má aplicação dos recursos”, afirmou.

FONTE: http://www.dcomercio.com.br/