Linkedin como parceiro nas vendas de valor em tecnologia
jan16

Linkedin como parceiro nas vendas de valor em tecnologia

Fazer negócios por meio das redes sociais é cada vez mais constante para um vendedor de sucesso! Entenda como o Linkedin apóia o mercado B2B e o social selling.

Read More
Marketing: como divulgar o meu escritório de contabilidade?
dez10

Marketing: como divulgar o meu escritório de contabilidade?

Acompanhe a seguir as principais maneiras de divulgar o seu negócio de contabilidade, seja na internet ou fora dela, para obter mais clientes.

Read More
Millenials que tomaram esteroides, assim é a Geração Z: sua marca está pronta para ela?
out26

Millenials que tomaram esteroides, assim é a Geração Z: sua marca está pronta para ela?

Os padrões de gastos dessa geração diferem do padrão dos millenials. A Geração Y prefere gastar dinheiro com experiências, e não com objetos materiais. De igual modo, essa geração se importa mais com o acesso a produtos e serviços do que em possuí-los.

Read More
Oxford Economics e SAP divulgam novas descobertas do estudo global Workforce 2020
jun02

Oxford Economics e SAP divulgam novas descobertas do estudo global Workforce 2020

Empresas com melhores práticas apostam em gestão talentos para enfrentarem novos desafios do mercado de trabalho

Read More
Você tem o estilo de liderança certo para a era digital?
mar06

Você tem o estilo de liderança certo para a era digital?

Os líderes que desejarem acrescentar a cocriação aos seus manuais de estratégia devem levar em conta as quatro diretrizes

Read More
Impacto do eSocial nas Organizações Contábeis
jul10

Impacto do eSocial nas Organizações Contábeis

eSocial: o nível de compreensão dos impactos desse novo sistema nos procedimentos, em especial na comunicação entre empresa e departamentos, ainda é baixo.

Read More
Organizações contábeis devem  investir em marketing 3.0
nov06

Organizações contábeis devem investir em marketing 3.0

por Roberto Dias Duarte A complexidade tributária do Brasil gera mais serviços para os profissionais da contabilidade. Agora, com o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), os escritórios contábeis estão aumentando suas receitas. Para completar o cenário, há quem ainda insista que contador não precisa de marketing. Ele consegue novos clientes por indicação. Tais afirmações são tão obsoletas quanto o termo “guarda-livros”. Primeiramente é preciso compreender que os serviços consultivos relacionados ao cumprimento de obrigações tributárias têm o objetivo principal de atender ao poder público, através das autoridades fiscais. Por isso, eles compõem o “oceano vermelho” das organizações contábeis. Raros são os empresários ou gestores que valorizam esse trabalho. Na maioria das vezes, o resultado efetivo é percebido apenas como uma exigência burocrática. Mesmo aqueles que vislumbram a redução de risco fiscal têm a sensação de vítimas de um sequestro tributário, no qual além de terem que pagar em dia seus tributos, investem tempo e dinheiro para não serem surpreendidos por autuações e outras penalidades. Enfim, a maioria dos empreendedores não acredita que tais serviços agregam valor aos seus negócios. Pensam neles como mais uma despesa. Metaforicamente falando, são um seguro contra as investidas do fisco. Alguns poucos ainda buscam “seguros” melhores, mas a maior parte quer mesmo o mais barato. Completando o cenário, não há sinais de reversão desse comportamento. Por isso, há uma tendência de comoditização e, consequentemente, acirramento da competição baseada em preço nesse mercado. Ora, isso não chega a ser uma novidade. Logo que a Nota Fiscal eletrônica começou a se tornar obrigatória, fornecedores de soluções cobravam até R$ 5,00 por NF-e emitida. Hoje esse valor é de centavos e os serviços são muito mais completos que em 2008, incluindo custódia dos arquivos, auditorias, por exemplo. Por outro lado, aqueles que afirmam que profissionais da contabilidade conquistam clientes por indicação têm razão. E é justamente por esse motivo que eles precisam pensar e investir em marketing. Não o marketing publicitário, arrogante, unilateral do século passado. Philip Kotler, professor emérito na Kellogg School of Management, considerado um dos “pais” do marketing moderno, conceitua-o como “a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos com eles”. Ora, sem relacionamentos e clientes satisfeitos, como uma organização contábil poderá ter indicações? Kotler vai mais longe ao estabelecer um novo modelo de pensamento estratégico denominado de Marketing 3.0. Segundo ele, “a missão do marketing 3.0 nas empresas consiste em criar um elo com o cliente, promover a sustentabilidade no planeta e melhorar a vida dos pobres. Se você desenvolver um caso de amor com os seus clientes, eles próprios farão a sua publicidade”. Para construir...

Read More

Sete em cada dez empresas irão retificar a EFD-Contribuições

Com diversas prorrogações de prazo de entrega no currículo, sendo a derradeira delas, o último segundo do dia 16 de março, a EFD-Contribuições (ex-EFD-PIS/Cofins) terá de ser retificada por 68,5% das empresas, ou seja, praticamente sete em cada dez contribuintes. Isto porque a maioria esmagadora enfrentou problemas não apenas com a complexidade do conteúdo a ser preenchido (79,1%), mas com o tempo gasto para o envio desta obrigação acessória (mais de 4 horas, para 20%). Estes dados fazem parte de uma abrangente pesquisa realizada com 470 profissionais responsáveis pela escrituração de mais de 5 mil empresas, ouvidos entre os dias 15 e 18 de março, pelas duas maiores comunidades virtuais brasileiras sobre o Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) – blogs Spedito e JAP’s SPED, mantidas pelo professor Roberto Dias Duarte e pelo empresário José Adriano, respectivamente. Além de seus espaços para discussões, as comunidades chegaram aos participantes por meio de questionários enviados não apenas por e-mail, mas pelas redes sociais Twitter, Facebook e Linkedin. No universo pesquisado, participaram representantes de organizações contábeis, fornecedores de software, comércio varejista, serviços, comércio atacadista e diversos setores industriais. Apesar de 90,2% terem transmitido os arquivos no prazo inicial (14/3), a maioria (60,4%) enfrentou problemas para esta operação. O ponto de maior destaque é a insegurança constatada quanto à qualidade do conteúdo. Limitada nesta etapa a empresas do Lucro Real, a EFD-Contribuições foi entregue com a escrituração de janeiro de 2012. “Não era preciso ter bola de cristal para saber que haveria problemas graves. Ainda que as mudanças de prazo fossem previsíveis, a autoridade fiscal poderia ter sido mais realista com relação ao cronograma, pois não conseguiu dar conta da complexidade de uma sistemática criada por ela própria”, argumenta o professor Roberto Dias Duarte, especialista no tema, que vinha alertando sobre os problemas gerados pelas mudanças de última hora. De fato, argumenta a pesquisa, foram relatados, nas redes sociais, problemas diversos nos servidores da Receita Federal, obrigando a autoridade tributária a admitir as dificuldades técnicas e prorrogar o prazo por mais 48 horas. A pesquisa comprovou outro ponto bastante destacado nas discussões sobre nosso modelo tributário – a sobrecarga de responsabilidades para os profissionais das áreas contábeis e administrativas. Ao todo, 73,6% dos pesquisados são responsáveis por mais de uma empresa, enquanto 10,4% disseram ter responsabilidade pela Escrituração de mais de 30 empresas. “No Brasil, a complexidade e a instabilidade das normas tributárias, em especial para o PIS e a Cofins, tornam a adaptação ao SPED mais cara e longa. Na prática, estamos automatizando processos fiscais e tributários que ainda não estão definidos, nem mesmo pelas autoridades fiscais. O nível de precisão exigido pela EFD-Contribuições é inexequível a partir da tecnologia...

Read More
EnglishEspañol