Qual deve ser o básico da rotina contábil em um e-commerce?

Qual deve ser o básico da rotina contábil em um e-commerce?

Certamente, sabemos que o objetivo principal de todo e-commerce é gerar e conseguir lucrar em seu mercado de atuação. Contudo, não é somente o volume em que garante sucesso ante concorrência. Devemos lembrar dos internos que precisam ser conduzidos de forma inteligente e organizada, especialmente os contábeis.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, confira o nosso até o final e saiba mais sobre como um e-commerce deve organizar diariamente suas atividades contábeis.

Por que o e-commerce precisa atentar-se aos contábeis?

Antes de tudo, sabemos que acompanhar todos os relacionados a entrada e saída de uma empresa, não costuma ser uma tarefa tão fácil. Por esse motivo, entendemos que quando o e-commerce encontra-se em sua fase inicial, é possível que esse controle seja menos burocrático, já que estamos lidando com transações não muito intensas, visto que não possuem tantas demandas.

Nesse momento, o próprio consegue administrar esses recursos de forma eficiente. Entretanto, à medida que o tempo vai passando, novos clientes vão surgindo, bem como a contratação de funcionários, parcerias e outros que tendem a expandir o negócio. Nesse ponto, costumamos perder o controle do que entra e o que sai, pois diariamente o fluxo de informações e transações é gigantesco.

Qual deve ser a rotina contábil BÁSICA em um e-commerce?

Agora que você já sabe a importância de gerir contábeis em sua loja virtual, confira abaixo no que devemos atentar continuamente ao e-commerce, especialmente no que diz respeito aos contábeis:

1. Ficar atento aos TRIButOS que devem ser pagos

Para quem está iniciando um e-commerce agora ou já está no mercado digital há algum tempo, iniciar os administrativos contábeis pode ser um pouco complicado a princípio, talvez pelo fato de ainda não saberem como a cobrança de impostos tende a funcionar.

Em geral, os impostos que uma loja virtual deve pagar são basicamente os mesmos de uma loja física, por exemplo. Contudo, a única diferença está no recolhimento do ICMS, que é destinada a e-commerces que fazem interestaduais. Porém, de forma geral, os principais impostos que um e-commerce deve pagar são:

• ICMS-ST: esse termo refere-se a um tipo de substituição tributária, em que o recolhimento do ICMS quanto às operações de de mercadorias ou prestação de serviços será atribuída a outro tipo de contribuinte, e não aquele responsável pelas do produto ou serviço proposto.

• ISS: se o negócio digital estiver destinado exclusivamente à venda de serviços, não devemos esquecer do ISS. Ao contrário dos outros tipos de tributos incididos no seu e-commerce, o ISS será retido pelo município no qual o serviço do seu negócio é efetuado. Sabe-se que a alíquota desse imposto pode variar entre 2% e 5%, dependendo da região onde o seu e-commerce se encontra ativo.

• ICMS: para cada venda que a loja virtual ou e-commerce fizer, esse tributo deverá ser pago. Se tratando das lojas virtuais, por exemplo, até o ano de 2018 o recolhimento desse tipo de imposto podia ser compartilhado entre os estados de origem e o de destino das compras. Contudo, isso acabou mudando ano de 2019, fazendo o imposto ser somente recolhido através do estado de destino nas compras realizadas pela internet.

2. Deixe as configurações das ALIQUOTAS sempre atualizadas

Caso você não saiba, quando um e-commerce é iniciado, os impostos e taxas são automaticamente calculados com base no país, e também com os estados selecionados no funcionamento do seu negócio digital. Entretanto, sabemos que um e-commerce não possui nenhum tipo de fronteiras, então o mix de produtos também estará disponível para estrangeiros. A ideia por trás desse cronograma é que se possa estudar sobre os impostos, a fim de não pagar valores a mais nessas operações.

3. Atente-se continuamente à saúde financeira da sua loja virtual

Antes de tudo, para que os contábeis do e-commerce possam estar de acordo com o previsto e de maneira legal, é necessário manter todos os relatórios completos a respeito das finanças do negócio digital. De forma prática, é necessário fazer o registro de todos os custos, tais como despesas fixas, ordens de compra, notas fiscais, entre outros processos envolvidos na contabilidade do e-commerce.

Lembre-se de que, se o negócio digital ainda encontra-se em sua fase inicial, a boa e velha planilha já pode atender às suas necessidades. Contudo, ao notar que o seu e-commerce já está começando a apresentar um alto volume de vendas, pode ser necessário contar com a ajuda de um sistema contábil mais robusto, de forma que automatize processos e realize cálculos automáticos.

4. Planeje os períodos para tributação

Como bem sabemos, a falta de pode oferecer prejuízos severos para o e-commerce. Isso acontece quando o acaba esquecendo de realizar o pagamento de algum tipo de tributo dentro do prazo. A partir disso, ele terá que arcar com multas, e dependendo do processo ou gravidade do problema, sofrerá algum tipo de penalização.

Sem contar que além das multas e penalizações, há os juros incididos sobre o atraso dos impostos, gerando uma “bola de neve” sobre as dívidas a serem quitadas.

VÁ ALÉM DO BÁSICO

Empresas de  especializadas contam com profissionais que podem ajudar também nestes desafios:

  1. precificar corretamente os produtos em cada canal de ;
  2. otimizar as compras;
  3. otimizar o fluxo de caixa;
  4. otimizar os estoques;
  5. criar  importantes para o comércio eletrônico;
  6. ficar em conformidade com os aspectos tributários no faturamento para  nacionais;
  7. otimizar  identificando quais produtos vendem mais, com maior margem, em cada canal.

Os processos acima citados podem fazer toda a diferença entre o sucesso e o fracasso. Não se iluda: para ter um comércio eletrônico de sucesso é fundamental buscar um parceiro de confiança no setor da contabilidade!

Conclusão

Em resumo, para que tenhamos uma rotina contábil saudável no e-commerce, não basta apenas realizar o pagamento dos impostos em suas datas específicas. Além dos relatórios que a contabilidade precisa criar e atualizar constantemente, pode ser crucial fazer outros tipos de levantamentos referentes à lucratividade do negócio, pois assim, será possível analisar a possibilidade de fazer novos investimentos no negócio digital, para que a marca se expanda ainda mais.

Além disso, é necessário lembrar de conduzir o capital de giro eficientemente, pois a princípio, será esse dinheiro que vai tornar a empresa digital ativa no mercado de atuação. Trabalhar dentro da legalidade, sobretudo as dos direitos do consumidor é crucial para um e-commerce de sucesso.

Gostou desse artigo? Agora que você já sabe como adequar um e-commerce dentro dos processos contábeis de forma eficiente, que tal ampliar o seu conhecimento sobre o assunto? Acesse agora mesmo o nosso e confira outras dicas exclusivas.

Classifique nosso post