6 erros mais cometidos na contratação de pessoas e como evitá-los

Quando encontro um funcionário que se revela errado para o trabalho, sinto que a culpa é minha porque tomei a decisão de contratá-lo. Akio Morita

A contratação de pessoas exige técnica, organização e paciência. Não é razoável que empresas cometam erros durante os processos de atração, recrutamento e seleção. Afinal, estamos lidando com pessoas e as expectativas são altas, nos dois lados. 

Para as empresas, a responsabilidade de escolher o profissional mais qualificado é o ponto principal. Já para o candidato, ele espera conquistar a vaga e iniciar um bom relacionamento com a organização. 

Neste artigo, mostraremos 6 erros recorrentes na contratação de pessoas. Continue a leitura e descubra como evitá-los trazendo benefícios para sua empresa contábil

Importância do recrutamento e seleção nas empresas

Uma relação trabalhista começa no processo de recrutamento e seleção. Isso porque, trata-se do primeiro contato entre profissional e empresa para a realização de um trabalho conjunto. 

Nesse sentido, contratações mal-executadas podem desequilibrar todo um sistema. O mesmo ocorre com colaboradores selecionados sem qualquer identificação com a organizacional. 

Por isso, antes de contratar, as empresas devem fazer um trabalho forte de atração, combinando ações entre e RH, a fim de captar os melhores talentos. 

Sem esse cuidado, fica difícil garantir que os valores do candidato estejam alinhados à organizacional. O processo seletivo existe para evitar a contratação de profissionais que não se encaixam na estrutura do negócio ou que fiquem na empresa por pouco tempo. 

Esses problemas geram desperdício de energia, tempo e dinheiro, afetando os resultados do RH. Isso ocorre também nas empresas de contabilidade, onde existem grandes responsabilidades a cumprir. Nelas, a seleção deve ser ainda mais detalhada e bem executada para ter colaboradores com os mesmos objetivos e valores. 

6 erros que devem ser evitados

A contratação de pessoas é uma etapa tão importante que não pode ser negligenciada. Trata-se de escolher o candidato ideal para a vaga certa e qualquer passo mal dado pode custar caro. Para ter nessa empreitada, o deve evitar erros comuns, confira. 

1. Selecionar pessoas apenas pelo currículo

O currículo continua sendo um instrumento indispensável para a apresentação de candidatos. Nas empresas, tudo começa com a triagem. Nesse processo, a de pessoas decide quem segue adiante no processo e quem deve ser descartado naquele momento. 

No entanto, um dos erros mais comuns é contratar apenas pelo currículo, ainda que pareça a solução mais fácil. Selecionar sem considerar o perfil comportamental do candidato será fatal para o processo. Por isso, empresas que contratam pelo currículo, acabam demitindo pelo comportamento. 

O ideal, nesse caso, é investir em testes comportamentais. Eles são uma alternativa para alcançar resultados considerando características marcantes do candidato, conforme o perfil dominante. 

2. Deixar de estruturar o processo de R&S

Esse erro pode ocorrer antes mesmo da triagem de currículos: não estruturar o processo de recrutamento e seleção. A falta de um roteiro pode atrapalhar até mesmo o recrutador mais experiente. Sem planejar detalhadamente todas as etapas, os problemas começam lá na atração de candidatos. 

A solução é manter o foco para atrair candidatos qualificados e alinhados aos valores organizacionais. Muitas vezes, é melhor ter menos etapas nos para manter a coerência com a vaga. Faça propostas claras e inclua perguntas eliminatórias, sempre que possível. 

3. Ignorar a organizacional

A contratação de pessoas sem considerar a organizacional é um dos erros mais comuns. Muitas empresas não se atêm sobre o modo de agir e pensar do candidato, selecionando profissionais sem fit cultural. Nessas situações, o colaborador pode desenvolver comportamentos opostos à filosofia do negócio. 

Desse modo, o conjunto de hábitos, crenças, valores e comportamentos compartilhados na empresa deve ficar claro para o candidato, já na divulgação da vaga. 

4. Ter muito longos

Fazer o candidato passar por etapas desnecessárias é contraproducente, especialmente quando todo o processo de seleção leva muito tempo para dar respostas. Fases adicionais e até mesmo falta de retorno costumam afastar os melhores talentos. 

Profissionais qualificados estão sempre na mira da concorrência e, caso sua empresa demore demais, perderá a oportunidade. 

5. Deixar de utilizar a

Atualmente, é inviável fazer triagem de currículos sem a tecnologia. manuais são desgastantes, passíveis de erro e demorados. Sendo assim, deixar de usar a a favor do RH é um erro a ser evitado. 

A digitalização do RH e os softwares desenvolvidos para fazer recrutamento e seleção são uma realidade nas empresas. Com ajuda da tecnologia, a contratação de pessoas pode ser muito mais eficiente e ágil, mesmo diante de um grande volume de dados. 

6. Não investir na do candidato

A maneira como a empresa trata os candidatos durante o recrutamento e seleção reflete na imagem organizacional. A negativa também prejudica futuros . Tenha em mente que o clima interno será percebido pelo candidato, ainda que o contato dele com a organização seja mínimo. 

Desse modo, tratar bem os profissionais, investindo no employee experience, é quase um dever da de pessoas. Ainda, transparentes, imparciais e acolhedores são uma vitrine para o seu negócio. 

Benefícios da contratação bem-feita

O primeiro passo para ter na contratação de pessoas já foi dado: conhecer erros e saber como evitá-los. Ao contratar o profissional certo, o RH garante harmonia entre as equipes e evita prejuízos financeiros. 

Lembre-se que aprender com os equívocos é muito mais positivo do que reparar danos mais adiante. Aproveite para qualificar o aprendizado conhecendo 10 dicas capazes de garantir a experiência dos candidatos nos processos seletivos