Diversidade Cultural: como o seu escritório de contabilidade pode melhorar com ela?

Diversidade Cultural: como o seu escritório de contabilidade pode melhorar com ela?

A exemplo da igualdade universal dos povos, fato que a ONU e a própria constituição brasileira preconizam, diferenças culturais na sua equipe podem trazer grandes resultados, estes sim, fazendo a diferença

Quem presta serviços sabe perfeitamente que as pessoas são a base de todo o seu sucesso.

E se ainda não percebeu que talento, competência e honestidade não têm cor, idade, sexo, religião ou qualquer outra condicionante –   exceto os conhecimentos de cada pessoa e o seu bom caráter – certamente já passou da hora de mudar de ideia.

Isso porque o conceito clássico de diversidade, frente ao fato de as empresas hoje competirem

cada dia mais em mercados globais, acabou se estendendo à variedade cultural, o que trouxe aos gestores o desafio de manter a equipe coesa e remando sempre para a mesma direção, mesmo havendo práticas e costumes individuais contrastantes.

Curiosamente, porém, entre os próprios colegas de trabalho ainda se identificam restrições no mínimo curiosas, em plena terceira década do século XXI.

Pesquisa abrangendo 2025 entrevistados, em empresas com mais de 10 colaboradores espalhadas pelo País, traz revelações surpreendentes.

Realizado em 2019 pela HSM Management, em conjunto com a Opinion Box, o estudo deixa claro que não compete apenas aos gestores arejar a mente, face às condenações sofridas pelo preconceito não apenas nos tribunais, mas principalmente por meio de inúmeras evidências sociológicas e até científicas.

Por exemplo, 8% afirmaram que teriam dificuldade em conviver com um chefe de raça destoante da sua; 9% atribuíram aos homens maior capacidade de liderança; 10% rejeitaram a ideia de estar subordinado a alguém com orientação sexual alternativa e 11% duvidaram do de um portador de deficiência em cargo de chefia.

Já por parte das empresas, os mesmos participantes do levantamento apontaram que 44% delas não possuem nenhum transexual em seus quadros; ao passo que 29% não possuem sequer um deficiente trabalhando, enquanto menos de 25% informaram haver um negro ou mais na equipe. Por fim, 37% já testemunharam algum episódio de discriminação no escritório,

Em miúdos, isto mostra que a grande maioria dos ambientes corporativos ainda é formada, predominantemente, por homens jovens, brancos e heterossexuais.

No segmento contábil, este quadro levou o Conselho Regional de do Estado de São Paulo – CRC-SP, a instituir um ano atrás o Grupo de Trabalho da Diversidade e Inclusão (GDI), com a finalidade de atender os profissionais da área que se sintam discriminados de alguma forma.

Mas o que seria exatamente diversidade cultural?

Embora toda essa questão seja antiga, a disruptura do aspecto tempo-espaço acentuada pela pandemia do novo coronavírus, assim como a desintegração de fronteiras físicas proporcionada pela globalização, trouxeram um novo olhar aos gestores e profissionais de RH sobre a diversidade cultural.

Segundo o Dicionário Oxford, trata-se da “existência de uma variedade de grupos culturais ou étnicos dentro de uma sociedade”.

Mas será que isso é bom?

Riqueza é uma palavra altamente significativa diante desta questão.

Afinal, antes de se traduzir em números positivos no balanço de uma organização, a diversidade gerida de forma competente pelos empregadores tem sido generosa em produzir exemplos do quanto os empreendimentos ficam mais ricos também em talentos e, consequentemente, nas soluções criativas encontradas por essas pessoas, nas mais diversas situações.

Evidentemente, não é por acaso que um número crescente de empresas mundo afora tem perseguido essa riqueza intangível, em alguns casos percebida sutilmente, e não mais com a van finalidade de melhorar a reputação dos seus protagonistas, ao ter na inclusão uma de suas marcas-registradas.

Também não se trata de um mero modismo, mas sim uma importante forma adicional de ampliar a vantagem competitiva frente à concorrência.

A cada dia também evolui rumo ao status de senso-comum a antes apenas teórica crença de que empresas com um ambiente mais diversificado superam seus concorrentes e obtêm lucros maiores.

Quais são os benefícios reais dessa diversidade numa corporação?

A diversidade corporativa garante uma variedade também de perspectivas para a resolução dos mais diversos problemas e desafios do dia a dia.

Isto ocorre porque as experiências e as habilidades dos colaboradores são tão distintas quanto as próprias características gerais e o currículo de cada um.

Consequentemente, tende a haver num ambiente uma pluralidade também de perspectivas na elaboração de planejamentos, o mesmo ocorrendo com a implantação de novas estratégias.

Maior criatividade

Outro benefício da diversidade numa empresa é a natural que isto traz à criatividade, fruto de haver sempre várias óticas numa mesma análise.   

Pessoas com múltiplas origens tendem a ter experiências diferentes e, portanto, perspectivas também distintas.  A exposição a essa variedade de interpretação e pontos de vista leva a uma maior criatividade.

Quando você reúne pessoas que veem a mesma coisa, mas de maneiras variadas, é mais provável que se obtenha um caldeirão repleto de possibilidades.

Sem dúvida, esse quadro melhora significativamente a criatividade de toda a equipe, abrindo espaço para a tão buscada inovação.

Agilidade nas decisões

Organizações com mais diversidade resolvem problemas mais rapidamente.  Estudo da  Harvard Business Review, por exemplo, concluiu que equipes diversas chegam mais facilmente às tomadas de decisão, a reboque da riqueza de talentos já mencionada.

De acordo com um relatório da plataforma de tomada de decisão online Cloverpop, é evidente a relação existente entre um local de trabalho simpático à diversidade e uma evidente superioridade na rapidez e qualidade das decisões ali tomadas.

Entre outras coisas, os pesquisadores descobriram que, quando a diversidade reina nas equipes, elas são capazes de tomar decisões de negócios cerca de 90% mais eficientes, em comparação aos decisivos individuais.

Turn Over reduzido

A diversidade nas empresas aumenta ainda retenção de funcionários talentosos. Essas organizações são mais inclusivas e ajudam todos os trabalhadores a se sentirem aceitos e valorizados.

Essa circunstância contribui para que o trabalhador seja mais feliz e tenha vontade de permanecer na empresa.

Além disso, são alcançadas taxas de produtividade mais altas.

Como se vê, a diversidade – seja cultural ou de qualquer outra ordem – é um ingrediente poderoso para escritórios de terem nas suas equipes – que sempre foram o principal tesouro das empresas prestadoras de serviços – um trunfo mais importante ainda para se destacar no mercado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments