Empreender e o Fim do “Tudo Eu”

Empreendedorismo é tema de palestra com Roberto Dias Duarte
é tema de com Roberto Dias Duarte

é muito mais do que possuir uma empresa, comprar e vender produtos ou serviços. As características de um bom vão além da vocação ou de qualquer outra habilidade. Ainda é preciso prezar pela organização, controle, foco e principalmente pelo . Foi com este mote que o administrador Roberto Dias Duarte conduziu a para empresários e estudantes, promovida pela Associação Comercial e Industrial de Araguaína – ACIARA, Associação dos Contadores de Araguaína – ASCA e SEBRAE, na noite da última quinta-feira, 13, no auditório do ITPAC. E o tema foi bastante apropriado para o atual cenário econômico nacional porque, segundo Roberto, “tudo na vida tem seu lado bom, até mesmo a crise. É dos problemas que tiramos as oportunidades para crescer”.

Uma realidade, dois lados

Logo de cara, Roberto apresentou dados que poderiam animar o público: o Brasil é o primeiro no ranking mundial de ! 36 milhões de brasileiros possuem algum tipo de negócio. 30% por necessidade e 70% por oportunidade. Mas aí veio o balde de água fria: de acordo com o Índice Global de , nosso país ocupa a 100º posição. Ou seja, quantitativamente, estamos bem colocados. Mas qualitativamente, quando é levando em consideração o das empresas, a realidade é nua e crua. “ é agregar valor para a sociedade, para os clientes”, observou o .

Exemplo prático

Para ajudar na compreensão da temática, Roberto usou o exemplo de um pequeno negócio de venda de omeletes para explicar todas as tomadas erradas de decisões e as exigências que existem sobre as empresas brasileiras. E aí veio a informação que todos já sabem: “A burocracia brasileira é o maior entrave para a expansão de qualquer empreendimento”, afirmou Duarte.

Por isso que, para avançar com segurança em qualquer negócio, o precisa ter conhecimento, preparo e percepção dos cenários econômicos. E tem aquela outra velha informação que todos também sabem, mas poucos aplicam. “49% das empresas que fecharam as portas no país nos últimos anos apontaram a falta de como o principal motivo”, lembrou Roberto.

Como lidar?

Diante de todo o cenário negativo de altos tributos e muita burocracia, o foi enfático ao afirmar que não se pode conduzir uma empresa na atualidade com aquelas velhas práticas do passado. “O nível de cobrança, exigência e fiscalização aumenta a cada ano. As pequenas sonegações, fraudes, o jeitinho brasileiro já não têm mais espaço. Quem insiste na prática está sabotando o próprio negócio”.

Já que ano após ano o FISCO exige que todas as prestações de contas sejam no formato digital, o investimento em sistemas e softwares é item obrigatório em qualquer empresa, de qualquer porte. “Controle de estoque, controle de , de compra, de pessoal, tudo precisa ser sistematicamente controlado e organizado”, reforçou Roberto. E um número traduz bem essa necessidade. Somente em 2013, a Receita Federal arrecadou R$ 190 bilhões em multas, decorrentes de erros nas empresas. “Administrar é prever, organizar, estabelecer metas e principalmente . O sujeito pode até estar muito motivado, mas toda precisa de uma direção e quem consegue fazer isso é o líder”, disse o .

Foco na qualificação

A temática apresentada por Roberto Dias Duarte atende uma das principais frentes de atuação da ACIARA que é a capacitação dos empresários. “O conhecimento é a ferramenta para superarmos qualquer adversidade. Mesmo diante de cenários mais difíceis é possível gerir a empresa com mais responsabilidade, atravessar o momento e até crescer. O palestrante mostrou que isso é possível e nossa meta é disseminar esse sentimento cada vez mais entre nossos empresários”, pontuou o presidente da ACIARA, Manoel de Assis Silva.

Para o presidente da ASCA e diretor da ACIARA, Ronaldo Dias, a iniciativa da ACIARA é fundamental para transformar os empreendedores em líderes. “Num ambiente hostil, como a crise que se apresenta, as empresas que estão mais fracas estão mais propensas a serem afetadas. Por isso é importante observarmos as tendências e fazer o dever de casa. Há oportunidades na crise e precisamos estar atentos para enxergá-las e sairmos na frente”.

Fonte: www.portalnabocadopovo.com.br

Qual sua opinião sobre isso?