Omie anuncia compra do Banco Digital Linker

Omie anuncia compra do Banco Digital Linker

Com a aquisição, a Omie, que é pioneira na convergência entre e serviços financeiros, pretende ter uma nova oferta de serviços bancários, crédito e cobrança mais ampla:

  • Com mais de 1280 funcionários diretos e indiretos, mais de 80 mil clientes e crescimento de 70% em 2020, Omie fortalece sua posição na corrida dos neobancos e fintechs pelas PMEs com sua quarta e maior
  • Fundado em 2019, o Linker oferece serviços financeiros a 30 mil PMEs. Entre julho do ano passado e junho de 2021, o volume transacionado na plataforma da fintech aumentou 15 vezes
  • A Conta Linker, que já tinha um go-to-market através de parcerias com contadores, ganha a força de um grande time de distribuição para crescer sua carteira de clientes e levar crédito às PMEs de forma mais simples

São Paulo, 17 de novembro de 2021 – A Omie, plataforma de () na nuvem, anuncia hoje o signing da compra do Banco Digital Linker. Fundada em 2019, por David Mourão, Ingrid Barth e Daniel Benevides, a fintech oferece serviços financeiros e soluções bancárias, como conta digital, cartão de crédito e de cobranças, para mais de 30 mil PMEs, já sendo parceiro de mais de 100 escritórios de contabilidade. O valor da transação foi de R$120 milhões incluindo um conjunto de ações da Omie, incorporando 100% do capital social do Linker. Tudo isso ocorre em um momento no qual os neobanks e fintechs começam a olhar além da pessoa física e iniciam uma batalha pela pessoa jurídica, especialmente pelas pequenas e médias empresas, o que vem movimentando bastante o mercado.

Dessa forma, além de integrar as soluções das duas empresas para ter uma oferta mais completa, a Omie vai também expandir fortemente a base de clientes de Conta Corrente e Serviços Financeiros do Linker, que serão posteriormente potenciais clientes para o Omie. A construção desse ecossistema, além de ampliar o mercado endereçável da Omie, deve permitir uma maior fidelização dos clientes e o avanço em sua cadeia de valor.

“Sempre acreditamos que serviços financeiros e software de estão em uma trajetória de convergência, e que “o é o novo Internet Banking”. Entretanto, muitas empresas podem começar a sua jornada apenas por serviços financeiros, podendo evoluir para usar o software de conforme aumentam a sua maturidade nos negócios”, afirma Marcelo Lombardo, cofundador e CEO da Omie. “Encontramos no Linker não apenas um produto super bem desenhado para esse fim, mas também identificamos um time de primeira linha e motivado em se juntar a essa grande missão, compartilhando o sonho grande de destravar o crescimento das micro, pequenas e médias empresas brasileiras.”

A Omie segue focada em entregar sua visão de que fazer um sistema de simples, intuitivo e eficiente, é a melhor forma de contribuir para a prosperidade dos pequenos e médios negócios e, acima de tudo, do Brasil. Os clientes da empresa seguirão com total liberdade para escolher os serviços e soluções que queiram utilizar, inclusive financeiras, que julgarem mais adequadas a sua necessidade. Há poucos meses, a Omie também divulgou uma parceria inédita com o Banco Itaú, na qual o maior banco brasileiro oferecerá a plataforma da Omie para seus 1,5 milhão de clientes PJ em um formato co-branded.

Assim como a Omie, o Linker apresentou forte crescimento ao longo de 2020 e 2021. Neste período de pandemia, a fintech também teve um papel fundamental ajudando milhares de PMEs a se digitalizarem e, mesmo após a reabertura do mercado, esse crescimento segue consistente. Entre julho do ano passado e junho de 2021, o volume transacionado na plataforma da fintech aumentou 15 vezes, e com o segundo trimestre movimentando 70% mais que o primeiro. Já o volume movimentado no cartão de crédito aumentou quatro vezes esse ano, enquanto a função de pagamentos de conta cresceu 70% desde janeiro. A operação e os colaboradores do Linker serão totalmente incorporados pela Omie.

“Desde o início do Linker, enxergamos que as pequenas empresas de hoje demandam soluções financeiras que vão além do modelo tradicional de banco. De lá para cá, o Linker evoluiu muito com um melhor entendimento das dores dos empreendedores e, desenvolveu diversas soluções inovadoras e integradas”, afirma David Mourão, fundador e CEO da fintech. “Acreditamos que esta nova fase irá requerer uma proximidade ainda maior com as necessidades das PMEs, repensando mais profundamente a relação entre bancos e empresas. Com a Omie, principal referência em serviços para PME, teremos uma oferta complementar ao que já oferecemos e, além disso, com sua grande cultura de execução, se mostrou o parceiro ideal para oferecer essa solução completa e integrada ao ecossistema de PJs. Juntos iremos liderar a transformação da indústria e faremos desaparecer as barreiras entre serviços financeiros e softwares de para que o invista seu tempo no que realmente importa: o do seu negócio.”

David tem 18 anos de no mercado financeiro, tendo trabalhado 6 anos em Nova York no Itaú Asset Management e na Vinci Partners. Além de David, os outros fundadores da Linker e que passam a fazer parte da Omie são: a COO Ingrid Barth, que tem 16 anos de no mercado financeiro, com passagens por Santander e JP Morgan, além de ter atuado como Head de PJ no Neon, e o CDO Daniel Benevides, que tem 17 anos de em design e tecnologia, trabalhando com projetos no Brasil e no exterior. Daniel também foi co-fundador do Neon onde permaneceu por 4 anos como CDO.

Com sua solução que combina software de gestão (ERP), educação empreendedora e serviços financeiros, a Omie deve fechar o ano próximo a 100 mil clientes. Recentemente, a empresa divulgou ainda dois M&As com a da Devi Tecnologia, empresa de software para varejo, e da G-Click, ferramenta na nuvem para de para escritórios de contabilidade. Anteriormente, em novembro de 2020, a Omie já havia adquirido a Mintegra, solução que integra marketplaces e plataformas de e-commerce a sistemas de gestão.

Desde sua fundação em 2013, a Omie já levantou pouco mais de R$ 690 milhões de investimento em rodadas anteriores ao novo aporte da Tencent, anunciado no fim de outubro e de valor não revelado. Os eventos mais relevantes foram a rodada Série A em 2018, liderada pela Astella Investimentos, a Série B em 2019, liderada pela Riverwood, e a Série C, em agosto deste ano, liderado pela Softbank, com a participação do investidor existente Riverwood e notáveis gestores de fundos de ações brasileiros, como Dynamo, VELT, Hix Capital, Bogari Capital e Brasil Capital, além da Endeavor Catalyst.

Sobre a Omie

Fundada em 2013 por Marcelo Lombardo e Rafael Olmos, com o propósito de levar prosperidade para qualquer negócio, oferecendo um sistema de inovador, completo e ilimitado. A scale-up é ancorada em três pilares: por meio do software. Educação, com a Omie Academy, braço educacional da empresa que leva capacitação profissional continuada aos empreendedores de forma gratuita. E Finanças, com acesso a serviços financeiros com conta digital nativa do sistema e cobranças via boleto e PIX, com custos bem mais baixos, além de linhas de crédito e soluções para apoio à de pequenas e médias empresas, como o Itaú Meu Negócio gestão by Omie, produto em parceria com o banco Itaú e que faz a integração dos sistemas de gestão e financeiro. Além disso, sua atuação regional com a Rede de Franquias a torna a única empresa do segmento a figurar entre as 100 empresas que mais crescem no País, segundo o ranking da Deloitte, estreando no terceiro lugar.

Classifique nosso post post

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments