Os impactos da pandemia no setor contábil

Os impactos da pandemia no setor contábil

Se existe algo que vai ficar para a história do século XXI, esse algo é, sem sombra de dúvida, a pandemia do Coronavírus. Muitos historiadores e especialistas afirmam que essa crise mundial é o marco do século e finalmente inaugura essa nova caminhada da humanidade. Assim como o século XX só começou depois da primeira guerra mundial, a nossa era acaba de iniciar-se.

Todos nós fomos afetados de alguma forma, seja profissionalmente ou pessoalmente. Evidente que, depois das vítimas, os mais afetos pela pandemia foram os setores trabalhistas, principalmente o turismo, as artes, o comércio não essencial e todas as atividades que de alguma forma ocasionariam uma maior disseminação do vírus.

Todavia, você já se perguntou como essa crise sem precedentes na história recente tem afetado um dos setores vitais para nossa economia: o setor contábil? Engana-se quem acha que essa área passou incólume pelas consequências dessa nova cepa Sars-Cov-2, aliás, a contabilidade foi umas das áreas que mais sofreram os impactos dessa crise.

Se você deseja se informar um pouco mais a respeito de como a crise do corona vírus afetou a contabilidade, fique com a gente e confira no artigo a seguir os impactos da pandemia no setor contábil. Acompanhe!

Os impactos da pandemia no setor contábil

Tendo em vista que o mundo funciona dentro de uma economia de mercado, viva e pulsante, não é possível partir direto para os efeitos do coronavírus no setor de contabilidade sem antes passarmos por uma breve retrospectiva de fatos impactantes na economia e as respectivas medidas tomadas por governos no Brasil e mundo afora.

Isso é necessário, pois, como já foi mencionado, a economia de mercado é uma só e estende os seus tentáculos por toda superfície terrestre. Sendo assim, qualquer ruído em um setor evolui para um estrondo do outro lado do mundo. É o conhecido efeito dominó.

E quais foram esses primeiros ruídos? Bem, você deve se lembrar que um dos primeiros sintomas de que o mercado não estava indo bem foi a queda significativa das bolsas de valores mundo afora. No Brasil, o Ibovespa registrou o acionamento do temido Circuit Breaker por pelo menos cinco vezes no mês de março, gerando caos e incerteza sobre a economia no ano que se iniciava.

Após a declaração de estado de pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), praticamente todos os aeroportos e portos mundiais foram fechados ou funcionaram com certa restrição. A alta do dólar chegou a patamares nunca vistos antes e a moeda passou da marca de 5 reais.

Esse distúrbio, nunca visto na história da aviação, trouxe os números de viagens nacionais e internacionais a praticamente zero, gerando fortes consequências em cascata. Evidentemente que, uma dessas principais consequências foi o aumento mais que significativo no número de desempregados, não só no Brasil como também em todas as partes do globo.

No meio de tanto caos e incerteza, obviamente que os governos não poderiam deixar de tomar alguma atitude para que o sistema financeiro não entrasse em colapso e aumentasse ainda mais a taxa de desemprego e desigualdade pelo país. Mas você sabe me dizer quais foram essas medidas?

Se você não se lembra, continue nos acompanhando que logo em seguida traremos as informações para refrescar a sua memória!

Principais medidas adotadas pelo governo para minimizar os ecos da pandemia

Diversas medidas voltadas para que fosse possível amenizar os impactos negativos dessa nova variante do corona vírus forma tomadas por governantes de diversas nações. No Brasil, o governo federal, além dos estados e municípios, porém em escala regional e sob a guarda da constituição, executou algumas medidas visando proteger o empregador e o empregado nessa situação de crise.

Desse modo, em abril de 2020, as providências que seriam tomadas ficaram explícitas na Medida Provisória decretada naquele mês. Assim, basicamente, o que o governo propôs para evitar maiores danos foi:

1. Uso do Banco de Horas

Uma das medidas para diminuir o impacto do Sars-Cov-2 no setor contábil foi a liberação do uso do Banco de Horas, juntamente com uma interrupção total ou parcial das atividades.

2. Auxílio na

Haja visto que com menos arrecadação de fluxo de caixa, o governo achou de bom tom auxiliar na folha do pagamento das pequenas e médias empresa.

3. Fundo de Garantia congelado

Para aliviar o bolso do empresário, o governo também executou a suspensão do FGTS por noventa dias.

4. Direito a férias

Houve uma permissão para que funcionários que, mesmo sem alcançar o período necessário para obter esse direito, puderam adiantar férias ou negociar diretamente com o patrão como agir nesse momento.

Impactos na contabilidade

Mesmo assim, apesar de alguma interferência do governo em prol da economia, ainda houve alguns impactos significativos no setor, tais como:

• Jornadas de trabalho bagunçadas

Como houve uma flexibilização para a negociação direta entre patrão e empregado, também houve uma diferenciação nas horas de jornadas de trabalho, o que pode ter ocasionado certa confusão no setor. Além disso, muitos profissionais tiveram que se familiarizar com ferramentas digitais que até então não tinham travado contato.

• Queda para alguns, alta para outros.

A fim de evitar aglomerações e saídas desnecessárias, muitos serviços de contabilidade presenciaram uma vertiginosa queda, principalmente aqueles relacionados a declaração do Imposto de Renda que, embora seja mais seguro realizá-lo com o auxílio de um , nada impede o contribuinte de realizá-lo sozinho.

Por outro lado, empresas mais amadurecidas empresarialmente aumentaram a demanda por informações sobre a : custos, , estoques, fluxo de caixa, ativos.

Muitos empreendedores que no tempo das “vacas gordas” não deram atenção à , começaram a se preocupar com os números de suas empresas.

Este movimento aumentou significativamente a demanda por serviços consultivos na contabilidade. Escritórios que já estavam no mundo da e prestando serviços consultivos aproveitam até hoje o aumento da demanda.

Há escritórios de contabilidade que cresceram 50% em receitas no ano de 2020. Alguns cresceram tanto que há fila de espera para clientes!

• Inadimplência em ascensão

O efeito cascata da pandemia gerou uma consequência gravíssima: o aumento da inadimplência. Se já era grande o numero de inadimplentes, com a pandemia isso se tornou mais evidente.

A inadimplência aumentou de forma relevante para escritórios de contabilidade que atendem setores mais sensíveis à pandemia, como: turismo, bares, eventos, etc.

Como citado anteriormente, escritórios que já estavam preparados para a contabilidade consultiva e sofreram pouco ou quase nada com a inadimplência.

sobrecarregador

Indubitavelmente, os profissionais da contabilidade ficaram mais sobrecarregados.

Apesar de toda a flexibilização de horários e de jornadas, um dos efeitos dessa crise foi que enquanto uns diminuem o ritmo, outros aumentam.

Assim, um dos setores que mais ficaram sobrecarregados nessa pandemia foi o contábil, tendo em vista que o aumento pelas consultorias disparou nesse momento tão delicado.

A diferença é que escritórios com serviços digitais consultivos tiveram aumento de trabalho e receitas.

Gostou do artigo de hoje e gostaria de se aprofundar ainda mais nesses e em diversos outros assuntos do tema? Entre em nosso site e navegue pelo nosso conteúdo! De quebra, você ainda pode se inscrever em nosso canal no YouTube e no Telegram para ficar ainda mais por dentro das novidades do mundo da contabilidade!