3 armadilhas que seu escritório de contabilidade deve evitar pós-fusões e aquisições

Traduzido e adaptado por Roberto Dias Duarte*

À primeira vista, as podem parecer uma maneira infalível de sua empresa de contabilidade  crescer rapidamente, mas é tão fácil fracassar quanto ter neste caminho.

As e se tornaram uma cada vez mais popular para escritórios de contabilidade. Eles são atraentes principalmente porque oferecem uma maneira relativamente rápida de obter credibilidade, adicionar poder de fogo intelectual ou alterar o equilíbrio de poder em um mercado específico. Mas, como em qualquer de crescimento, elas têm uma parcela de risco.

Neste artigo, abordaremos três grandes armadilhas implícitas às e e como evitá-las.

1. Perda de diferenciação

Um dos benefícios mais potentes do estabelecimento de uma forte identidade de marca é o valor que pode ser alcançado através do posicionamento desta marca. Em outras palavras, ter força em um serviço ou setor específico fornece uma empresa com o valor pelo qual os clientes estão dispostos a pagar.

Qualquer fusão ou aquisição que possa diluir o diferencial competitivo de uma empresa representa um risco para o valor dessa empresa. A solução: evite fusões e em que os recursos e os benefícios que eles oferecem não tenham relevância real para o seu público-alvo. Por exemplo, se seu escritório de contabilidade já é hiper nichado, adquirir um outro que tenha atuação generalista é uma grande ameaça à marca e à entrega de valor aos clientes.

Se o que a empresa adquirida não apóia nem aprimora diretamente o que sua empresa faz e fornece uma vantagem competitiva reforçada, ela não é um ativo – é um passivo. Melhor é evitar essa situação antes de iniciar as negociações de fusão. No entanto, se você já assumiu o compromisso da aquisição, não entre em pânico, você ainda pode realizá-la.

Comece modificando seu público-alvo para acomodar os serviços combinados que você oferecerá e desenvolva um novo conjunto de fortes diferenciadores. Lembre-se, para que os diferenciais funcionem, eles precisam passar nos três testes: 

  • eles são verdadeiros? 
  • são relevantes para os clientes?
  • são comprováveis?

2. Confusão no mercado

As fusões e aquisições podem ser especialmente atraentes para as empresas que buscam expandir seus serviços contábeis e conquistar novos mercados. Que melhor maneira de fazer isso do que se reunir com uma empresa já estabelecida no mercado procurado, certo? Bem, talvez não.

O risco aqui é confusão no mercado – o que exatamente essa nova empresa “aprimorada” faz?

Aqui está um exemplo: digamos que uma empresa de contabilidade altamente respeitada especializada em manufatura – vamos chamá-los de empresa A – vê uma vantagem estratégica em adicionar serviços de segurança cibernética para ajudar seus clientes a proteger suas informações financeiras críticas.

Isso pode parecer uma extensão lógica de serviços e uma boa ideia. Portanto, a empresa A adquire uma empresa que fornece segurança cibernética para as empresas de varejo. 

Missão cumprida, certo?

Não tão rápido…

O que exatamente é essa nova empresa híbrida? É uma empresa de contabilidade industrial com recursos de segurança cibernética? É uma empresa de segurança de TI que oferece serviços de contabilidade industrial e de varejo?

Você pode ver o que está acontecendo aqui: confusão no mercado. Agora, ambas as empresas desperdiçaram o valor da marca que conquistaram com muito esforço que desenvolveram.

Toda essa confusão confusa poderia ter sido evitada com alguma previsão e pesquisa para desenvolver um plano de negócios e sólido e integrado. Isso permitiria que eles posicionassem a empresa incorporada de maneira direcionada para ajudar os clientes atuais e potenciais a entender claramente a lógica da fusão, bem como os novos serviços expandidos e seus benefícios específicos.

A moral da história é escolher um posicionamento consistente e criar histórias em torno de serviços específicos para públicos-alvo específicos. Treine sua equipe para evitar mensagens confusas e se concentrar na clareza em suas comunicações. Oferecer mais serviços a mais públicos não é necessariamente um benefício.

3. Distração Interna

Não há como evitar, as integrações de fusões e aquisições e pós-fusão envolvem muitos recursos internos e geralmente envolvem a maioria dos executivos seniores da empresa. Isso pode criar uma grande distração, pois eles tentam resolver o que requer atenção e quando.

O potencial para as distrações maiores e mais perturbadoras ocorre quando o negócio é concluído e o processo de integração começa. Pode haver confusão e a gerência sênior pode se distrair demais, tentando conciliar a integração com as preocupações comerciais em andamento.

Se as pessoas ficarem sobrecarregadas, a fusão poderá fracassar e os negócios subjacentes também sofrerão. Essa é uma situação de perda / perda.

A solução é designar uma equipe específica para desenvolver um plano de integração passo a passo. Esse plano deve incluir a pesquisa e o desenvolvimento de novos e diferenciadores fortes, uma declaração de posicionamento combinada e ferramentas de , como um novo site que permitirá aumentar o alcance e acompanhar o . Esteja ciente, porém, de que tudo isso levará tempo e esforço; esteja preparado para comprometer recursos adicionais, conforme necessário.

Planejando o

Pesquisa, e integração disciplinada são fundamentais para o sucesso onde outros podem falhar. Evitar essas três armadilhas minimizará o risco e aumentará significativamente a probabilidade de sucesso.

*Publicado originalmente em: https://www.accountingweb.com/practice/growth/3-brand-pitfalls-to-avoid-post-ma

Qual sua opinião sobre isso?