Empreendedorismo na contabilidade: Do presente para o futuro

 

Todo mundo nasce . Alguns tem a chance de libertar esse potencial. Outros nunca vão ter a chance ou nunca souberam que tinham essa capacidade”. Muhammad Yunus – Pai do microcrédito e ganhador do prêmio nobel da paz em 2006.

A história de Muhammad Yunus, fundador do Grameen Bank é inspiração para muitos empreendedores. Empreendedorismo foi o que Muhammad viu e o inspirou a inovar e mudar realidades.
A história de Muhammad Yunus, fundador do Grameen Bank é inspiração para muitos empreendedores. foi o que Muhammad viu e o inspirou a inovar e mudar realidades.

A afirmação de Muhammad Yunus é incisiva ao dizer que todos nascem empreendedores. Mas no dia a dia da rotina empresarial, muitas vezes condicionados a desempenhar o “feijão com arroz”, os contadores se esquecem do feeling .

E, o que acontece a seguir é o que pode ser visto em diversos escritórios pelo Brasil: contadores focados em rotinas operacionais (popularmente conhecidos como “darfistas“) que podem ser facilmente cair na competição por preços. no caso dos , é sair da zona de conforto e se aventurar em novas tecnologias que reinventam o modo do 2.0 desempenhar e entregar o seu trabalho.

 Zona de conforto e não combinam

“Zona de conforto”. Essas palavras carregam um estado perigoso para qualquer pessoa que deseja . Muhammad Yunus, “o banqueiro dos pobres”, como é mundialmente conhecido, se manteve em uma luta diária para sair da zona de conforto e se desafiar.

Muhammad, nascido em Bangladesh, é o terceiro de uma família de 14 filhos. Se formou em economia e conquistou o título de PhD nos Estados Unidos em 1970. Mas, foi ao voltar para Bangladesh que ele encontrou a grande oportunidade de e transformar a realidade de muitos.

A oportunidade existe e é preciso enxergá-la

Muitas vezes, a oportunidade de da contabilidade bate à porta do . É preciso reconhecer o momento para entender como as mudanças necessárias podem levar o a um outro patamar.

No caso de Muhammad, o encontro com Sufia Begum, 21 anos, analfabeta e artesã, trouxe o insight que mudaria a história de muitos, inclusive a do professor.  Os artesãos  conheceram o lucro e Yunus se transformou no ganhador do Nobel da Paz em 2006.

Sufia Begum, participava de um grupo de aldeões que moravam perto da universidade onde Muhammad lecionava. Ela chamou a atenção de Muhammad pelo fato de ser empreendedora, mesmo quando as circunstâncias eram extremamente inapropriadas.

Para empreender é preciso agir

Circunstâncias não propícias ao progresso conduzem à memória dos  últimos anos  da história recente no Brasil. Crise e instabilidade política deixaram muitos contadores receosos, trabalhando com o objetivo de manter o escritório no mercado. Mas, é nesses momentos que o empreendedorismo na contabilidade precisa aflorar para criar maneiras de não apenas se manter no mercado, mas de continuar em uma crescente constante.

Apesar de estar numa situação associada à escravidão, Sufia se manteve persistente. Todas as manhãs, ela emprestava de um negociador a quantia necessária para fabricar tambores de bambu e, ao final do dia, os vendia para o mesmo negociador.

O agiota que fazia o empréstimo à artesã, a obrigava a vender seus produtos apenas para ele. O empréstimo com juros altíssimos e o baixo valor de venda a vinculava permanentemente a um círculo vicioso, no qual ela conseguia apenas manter a si e a sua família com os rendimentos.

é não se conformar

Inflações altas, juros abusivos, legislação tributária em mudanças e mercado competitivo são alguns dos fatores que estagnam o empreendedorismo na contabilidade. Apesar das adversidades, se manter o otimismo e a abertura para as novas possibilidades, como a no setor contábil, é entender que mudanças são necessárias para permanecer.

Voltando para a história de Sufia Begum, apesar de sua situação ser realmente muito difícil, ela encontrou Muhammad. Não conformado com a realidade, infeliz de Sufia, Muhammad procurou bancos locais para conseguir um empréstimo com juros menores e possibilitar uma melhora na vida de Sufia e dos demais artesãos.

Apesar da procura nos bancos de Bangladesh, Muhammad não encontrou nenhum banco que aceitasse emprestar dinheiro. Devido a pobreza evidente, os artesãos não demonstravam aos bancos garantia de recebimento do empréstimo.

Acreditar para empreender

Alguns contadores acreditam que trocar a “receita de bolo” que vem dando certo há vinte anos e se abrir para a da contabilidade pode parecer uma grande loucura. Porém, é preciso lembrar que o mundo está mudando de forma veloz e empresas familiares que se mantiveram no mercado ao longo dos anos, estão sendo deixadas para trás por modelos que iniciaram há meses.

Acreditar que é preciso se manter em constante movimento é empreender com o foco no futuro. Muhammad acreditou e decidiu empreender olhando para o horizonte que ainda não existia e precisa ser construído, o futuro.

Não contente com a negação de empréstimos dos bancos, o professor decidiu emprestar de suas próprias economias, mesmo sem ter a garantia de que receberia os pagamentos. Para sua surpresa, os aldeões pagaram os empréstimos em dia e uma nova realidade passou a ser construída.

O futuro é construído por empreendedores

Muhammad fundou o Grammen Bank, fornecedor de microcrédito com juros baixos para pessoas carentes, onde grande parte delas são mulheres e moram em zona rural. O seu modelo de negócio deu tão certo que foi copiado em cerca de 40 países. Apenas em Bangladesh, o Grammen Bank conta com mais de 6,5 milhões de clientes.

“Yunus, por meio do Grameen Bank, transformou o microcrédito em um importante instrumento de combate à pobreza”, afirma o comunicado da Fundação Nobel.

O transforma o cotidiano e influencia a todos que o rodeiam. Trazendo esta realidade para o , podemos observar por meio deste ângulo: O 2.0, empreendedor ativo, não mantém apenas o seu escritório em uma crescente constante, mas por meio de sua entrega aos clientes, também os influencia e os ajuda a crescer.

Manter a chama do empreendedorismo na contabilidade acesa é se manter inovador, eficiente e fundamental no mercado, na parceria com os clientes e na evolução pessoal.

Qual sua opinião sobre isso?