Empresários contábeis focam em gestão para o crescimento dos seus negócios

“É preciso fazer o negócio girar como empresa e não como escritório” - Thiago Vitor da Previsa Contabilidade
“É preciso fazer o negócio girar como empresa e não como escritório” – Thiago Vitor da Previsa Contabilidade

Desde os 12 anos, Thiago Vitor convive de perto com as rotinas da Previsa, criado pelo seu pai Carlos Vitor da Silva há cerca de quatro décadas na capital mineira.

A cada área que percorria auxiliando no então pequeno negócio, crescia em seu íntimo a certeza de que dedicaria sua vida profissional à contabilidade. Mas ao terminar o ensino médio e finalmente ingressar na faculdade, decidiu que não cursaria Ciências Contábeis naquele momento.

Para ele, mais importante do que aprimorar os conhecimentos técnicos na área contábil, era preciso nutrir uma visão empresarial aguçada, para torná-lo capaz de gerir com eficiência cada departamento pelo qual passaria antes de assumir a sociedade da empresa.

Somente depois de conquistar o seu primeiro diploma é que optou pelas Ciências Contábeis e pôde unir as duas formações para contribuir com o crescimento da Previsa, que hoje conta com mais de 120 funcionários e uma carteira superior a 500 clientes.

Praticar e desenvolver subsistemas de , saber escolher pessoas com perfil de liderança e subdividir as áreas em unidades de trabalho com várias células diferentes foram algumas das medidas tomadas ao longo do tempo para aperfeiçoar o gerenciamento do negócio. “É muito melhor ter lideranças intermediárias em vez de simplesmente ter um gestor de uma área grande”, afirma Vitor.

Os segredos para a de um empreendimento deste porte, segundo ele, passam ainda por implantar planos de carreira; criar mais ágeis para percorrer o melhor caminho possível até alcançar os resultados desejados; implementar um sistema de com um profissional dentro do próprio escritório; contar com um executivo de no departamento comercial e ter um profissional gabaritado no financeiro para medir a rentabilidade dos contratos.

“É preciso fazer o negócio girar como empresa e não como escritório” –  Thiago Vitor da Previsa Contabilidade.

Cursar , além da contabilidade, também foi uma escolha feita pela empresária contábil Denise Maria Nunes, sócia da Afisckon Consultoria Empresarial. Com 23 anos de na empresa localizada na capital gaúcha – da qual é sócia desde 2005 -, ela se credenciou a se tornar responsável pela do grupo, com atuação em empresarial, contábil e societária.

Um dos principais desafios de quem pretende no setor contábil, segundo ela, é compreender a no perfil do , tendo em vista os avanços das normas internacionais de contabilidade e do (Sped).

“Hoje o auxilia diretamente na tomada de decisão por parte dos empresários, tornando-se fundamental para a saúde financeira e econômicas das instituições. Se o empresário contábil não visualizar estas mudanças, está fadado ao fracasso”, diz ela.

Parte da terceira geração de um negócio familiar com mais de cinco décadas de história na capital carioca, Heitor Donin foi outro que buscou a formação na área de gestão antes de cursar Ciências Contábeis.

A partir dos conhecimentos adquiridos no MBA em Gestão de Projetos, ele tem participado ativamente das ações da Donin Contabilidade envolvendo as áreas de , e focado no setor contábil.

“Os novos empresários possuem mais conhecimento em gestão e são exigentes quanto à qualidade das informações geradas. Acredito que a médio e longo prazo as empresas contábeis se tornarão verdadeiros consultores de negócio, fazendo com que a entrega de obrigações se torne algo secundário. Já a curto prazo, enxergo a necessidade de as empresas de contabilidade evoluírem sua gestão através de , , gestão de pessoas e cultura organizacional, entre outros”, analisa Donin.

Aprendizados no Congresso RNC – Rede Nacional de Contabilidade

"O Roberto conseguiu com facilidade apresentar diversas ferramentas já conhecidas de gestão e planejamento sendo aplicadas na prática no segmento contábil. Foi a primeira vez que vi um Canvas sendo aplicado no setor contábil" - Heitor Donin
“O Roberto conseguiu com facilidade apresentar diversas ferramentas já conhecidas de gestão e sendo aplicadas na prática no segmento contábil. Foi a primeira vez que vi um sendo aplicado no setor contábil” – Heitor Donin

Estes e outros contadores e empresários contábeis fazem parte da Rede Nacional de Contabilidade (RNC) – associação de empresas contábeis presente em 90% das capitais – e participaram do 2.0, realizado pelo professor e Roberto Dias Duarte no último Congresso RNC.

Para Donin, a troca de conhecimentos foi fundamental para traçar futuras estratégias de prospecção e gestão no seu negócio. “O Roberto conseguiu com facilidade apresentar diversas ferramentas já conhecidas de gestão e sendo aplicadas na prática no segmento contábil. Foi a primeira vez que vi um sendo aplicado no setor contábil, por exemplo. Tenho certeza de que basta acreditarmos na proposta e colocarmos o que foi aprendido em prática para que possamos crescer de maneira sustentável”, destaca.

Com 16 anos de no setor, José Adail Lima Costa Junior também faz parte da terceira geração do negócio criado pelo seu avô na década de 1960 e assumido pelo pai nos anos 1980.

Diante da responsabilidade de perpetuar a história de da Adail Costa Assessoria Contábil, ele participou do a fim de se atualizar em relação ao e projetar o futuro da empresa.

“O ajudou muito trazendo à tona a realidade de como está o empreendedor contábil atual, incitando a seguirmos novos caminhos”, avalia.

Na avaliação de Lafayette Moraes Neto, da Previsa, o encontro foi importante para “entender que podemos aplicar métodos para identificar o cliente certo, métodos para precificar, enfim, encontrar na a melhor maneira de servir o cliente.”

Fonte: Reperkut

Qual sua opinião sobre isso?