Extraordinários números das empresas de contabilidade

Extraordinários números das empresas de contabilidade

por

464 bilhões de dolares! Este é o valor total das receitas geradas pelo mercado global de serviços de . Os dados do “Global Accounting Services: Market Research Report” apontam também que há 1.273.466 empresas de em operação no mundo, empregando 5.652.000 profissionais. O crescimento das receitas foi de 3.9% e a lucratividade de 17,3%.

Empresas de contabilidade no Brasil

No Brasil temos 64.929 escritórios registrados no Conselho Federal de Contabilidade – informações de agosto de 2018.

Conforme dados obtidos por meio de uma pesquisa que realizei*, cujo o erro amostral é de 4%, para um nível de confiança de 95%, a receita total das empresas contábeis brasileiras é de R$60 bilhões. Pouco mais de U$16 bilhões ou 3,5% do mercado mundial.

Os escritórios de contabilidade aqui, empregam 717 mil profissionais e atendem a mais de 5 milhões de empresas.

Life time value () é um indicador obitido pela multiplicação do life time (LT) pela líquida por cliente. Life time é o tempo médio que os clientes mantém contratos ativos com uma empresa.

O life time dos clientes de um escritório no Brasil é de 18 anos. A receita anual média é de R$937mil e a margem média é de R$319mil. Isto produz um médio de R$74mil por cliente.

Analisando os números do mercado temos um do somatório de todos os clientes de R$380 bilhões. Podemos considerar este número como o valor total do mercado brasileiro.

Pequenos escritórios

Este mercado é bastante heterogêneo. Por um lado, há escritórios organizados como empresas profissinalizadas, e por outro, pequenos com estrutura familiar, artesanal.

Os 80% menores têm a receita média de R$364mil/ano e 20% maiores têm R$3,5milhões.

Os menores apresentam um custo operacional de R$241mil/ano. Na prática, sobra pouco mais de R$10mil por mês para pagar impostos, aluguéis, e outras despesas não operacionais. Enfim, a capacidade de investimento dos pequenos escritórios é quase nula.

Já para os 20% maiores, a é 10 vezes maior. Portanto, há pouco mais de R$100mil por mês para pagamento de despesas não operacionais.

Transformação do setor

É fato público que o mercado passa por uma disrupção, e portanto demanda investimentos em capacitação, e .

A grande pergunta é: sem capital próprio,  com o crédito para investimentos caro e escasso, sem possibilidade de captação de recursos de investidores, quais alternativas os pequenos têm para competir?

No mundo todo, 87% das receitas de são de  “nível 1”, ou compliance tributário. Neste nível, o prestador de serviços entrega para seus clientes cálculo de impostos e cumprimento de obrigações. Este é o mercado está  em “oceano vermelho” – onde muitos disputam pouco – gerando uma ferrenha disputa por preços, agravada pelos serviços online.

O caminho natural para agregação de valor é o nível 2, onde há entrega de consultoria para melhoria do desempenho dos clientes. Ou mesmo nível 3: o aconselhamento estratégico que busca ajudar o cliente com os desafios de longo prazo com serviços de estratégico, sucessório, , e .

Para promover esta de perfil nos serviços é preciso mais que boa intenção. Os investimentos em desenvolvimento de , e são absolutamente necessários. Sem eles, a transição é impossível.

Sem investimentos, não há como entregar serviços consultivos, e não há como mostrar aos clientes o valor destes serviços.

dos escritórios

O está traçado: serviços consultivos com forte base tecnológica. Mas, conseguirão os atuais 52 mil pequenos escritórios conquistá-lo?

A resposta depende de outros movimentos. Redes de franquias, fusões, aquisições, disponibilidade de crédito. Há também outra alternativa: a possibilidade de captação de recursos de investidores. 

Os são um excelente negócio. Apresentam life time de 17 anos, no caso dos pequenos escritórios. Este é um número extraordinário, se comparado com o setor de telecom ou software em nuvem.

Mas, sendo um bom negócio, a regulamentação do setor permitirá aportes de capital por parte de investidores? Ou novos entrantes, oriundos de setores não regulamentados, aproveitarão as enormes oportunidades de serviços consultivos?

Enfim, a pergunta que ainda não temos resposta é: como os pequenos escritórios obterão recursos para investimento na ?

Entenda melhor e

Recomendo que você leia estes artigos para entender melhor os números:

Indicadores de do mercado

mercado contábil brasileiro

Números do mercado

Números do mercado contábil no Brasil
*Os 82% menores e os 18% maiores, para ser mais preciso.

*Sobre o estudo

Este estudo tem como objetivo subsidiar empreendedores, entidades e autoridades com informações estratégicas sobre o perfil do contábil brasileiro.

Pesquisa survey realizada por ([email protected]), responsável sua elaboração e tabulação e análise e divulgação.

O sigilo das informações e a ética do trabalho foram princípios básicos relacionados diretamente à credibilidade e lisura do pesquisador.

Não houve participação de nenhuma empresa privada, nem entidade pública na elaboração do questionário e análise de resultados.

Apoiaram a divulgação do formulário de coleta de dados Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina, Instituto Fenacon, Omiexperience, Fortes e Mastermaq Softwares.

O convite para participação da pesquisa também foi publicado em diversas redes sociais.

A pesquisa teve alcance de público em todos os estados brasileiro, exceto em Amapá e Paraíba, onde nenhuma resposta foi captada. 54,5% dos respondentes informaram que a matriz de suas empesas estão na capital dos seus estados.

Foram coletadas 950 respostas. O erro amostral é de 4%, para um nível de confiança de 95%.

Para este relatório foram consideradas apenas as respostas de sócios, proprietários, diretores, gerentes, coordenadores, supervisores ou gestores de empresas de . Há várias perguntas no questionário que dificilmente os colaboradores de em funções operacionais teriam acesso aos dados necessários para as respostas. Desta forma, a análise considera 727 respostas.

Veja aqui o relatório da pesquisa