Escritórios de contabilidade: como criar cultura de pertencimento

criando uma cultura do pertencimento em escritorios de contabilidade

Artigo original publicado em Accounting Web. Traduzido por Roberto Dias Duarte.

Trabalhar para uma maior diversidade e inclusão na profissão contábil é crucial. Porém, é com muita frequência, as empresas montam uma força-tarefa, mudam algumas palavras em seus manuais e ficam por aí.

Claramente defender essas questões da boca para fora não é a resposta. Então, qual é a maneira certa de abordar esse assunto?

Iniciativas de diversidade e inclusão têm recebido muita atenção nas empresas de contabilidade recentemente.

Apesar do crescimento de graduados em contabilidade de minorias étnicas, a contratação de minoria total por firmas de contabilidade dos EUA permanece estável desde 2012.

Hoje, estou compartilhando algumas lições favoritas de uma recente que Scharrell Jackson, COO da BPM, deu sobre a criação de diversidade real e inclusão nas empresas.

do pertencimento

Diversidade e inclusão são importantes, mas as empresas também precisam criar uma de pertencimento.

O que isso significa? Jackson sugeriu pensar na diversidade, inclusão e pertença em termos de festa.

  • Diversidade é o que vemos. Há um grupo diversificado de pessoas na festa, com diferentes origens, culturas, gêneros, raças, etnias e orientações sexuais representadas.
  • Inclusão é a base que permite a diversidade. Como todas essas pessoas diversas foram parar nesta festa? Eles foram convidados.
  • Pertencimento é o que permite que os convidados da festa sejam quem são sem medo de julgamento. Quando eles entrarem na pista de dança, eles não serão julgados pelo quão bem (ou quão mal) eles dançam.

Quando olhamos dessa maneira, é fácil ver porque a diversidade e a inclusão não são suficientes.

Para ter uma de trabalho próspera, você precisa garantir que as pessoas possam ser elas mesmas e expressar suas paixões. Elas precisam ainda sentir que são vistas, ouvidas e pertencentes à sua empresa.

Realize uma ação

Muitas iniciativas de diversidade e inclusão têm como foco a contratação. É um bom começo, mas criar uma cultura de pertença requer um olhar mais holístico.

Realize as seguintes perguntas:

  • Quem está no topo da sua empresa?
  • Quem são seus fornecedores?
  • Quem são seus clientes?

As empresas precisam se empenhar pela diversidade, inclusão e a cultura do pertencimento em todos os níveis e áreas – não apenas nas novas contratações que entram pela porta.

Clareza nos objetivos

Como qualquer iniciativa, você precisa de clareza sobre seu objetivo final e uma forma de medir o progresso.

Alguns exemplos de objetivos claros e mensuráveis incluem:

Aumentar o número de sócias na empresa em 30 por cento;

Ou ter dez fornecedores que são empresas de propriedade de minorias.

Quaisquer que sejam seus objetivos, você precisa de algumas coisas. Veja abaixo 4 ingredientes para alcançar seus objetivos:

  • Compromisso de líderes de alto nível
  • Campeões dessas iniciativas em todas as áreas de sua empresa
  • Um meio de rastrear o
  • Transparência e responsabilidade em toda a empresa
  • Sem esses ingredientes-chave, seus objetivos nunca se tornarão realidade.

Todo mundo tem preconceitos

Os preconceitos inconscientes são estereótipos sociais sobre certos grupos ou pessoas que os indivíduos formam fora de sua consciência.

Eles podem ser influenciados pela mídia, configurações sociais, educação e experiências ao longo de nossas vidas.

Ter conversas sobre esses preconceitos é difícil. Eles nos empurram para áreas desconfortáveis, mas para ter uma iniciativa bem-sucedida e uma conversa real, às vezes precisamos nos sentir confortáveis com o desconforto.

Jackson recomenda iniciar a conversa com uma pergunta simples:
Podemos ter uma conversa em que desistamos do direito de sermos ofendidos?

Isso pode abrir as portas para conversas que ajudem a desenvolver o entendimento.

Você não vai mudar todos

Por mais que desejemos que todas as iniciativas sejam 100% bem-sucedidas, nem todo mundo quer ter essas conversas difíceis.

Jackson recomenda focar nas coisas que você pode mudar em vez das coisas que não pode mudar.

Temos que dizer às pessoas onde estamos e outros têm que ser capazes de nos dizer onde estão, mas não podemos deixar a relutância de outra pessoa em mudar nos impactar.

Neste momento em nosso país e cultura, algumas pessoas estão mais abertas para ouvir e fazer mudanças do que nunca.

Assuma uma posição sobre quem você quer ser e o que deseja realizar, mas faça-o de forma respeitosa e atenciosa.

Traduzido e adaptado de: https://www.accountingweb.com/practice/growth/creating-a-culture-of-belonging-in-your-firm

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments